22 de agosto de 2012

NÃO GOSTO DE OLHAR A CRUZ TRAZENDO O CRISTO MUTILADO.

  Pai , se eu estiver errada, que haja tempo para convencer-me do contrário.
 Desde criança nunca gostei de ficar olhando a imagem de Jesus, numa cruz, coberto de sangue  e muito menos da necessidade de ficar falando sobre o que fizeram com Ele e por conta disso aproximarmo-nos daquele homem divino e especial por piedade e remorso.
  Não consigo, perdoem-me, achar que eu tenho culpa  daquele sofrimento  singular , daquela humilhação e daquela injustiça  porque aquilo aconteceu para perdoar meus pecados.
 Vejo muito comércio e motivação para as pessoas apiedarem-se daquele homem estraçalhado.Sim,ferido e maltratado em seu corpo ,porque  defendia idéias tão insubstituíveis que hoje  é a forma mais eficaz de construirmos a paz e a felicidade tão almejadas.
 Olhando para o Cristo eu vejo também a imagem de todos aqueles que neste planeta e em algum século  trouxeram as mensagens da luz para nos  fazer compreender que estamos aqui para desenvolver um trabalho edificante de evolução e que a ferramenta básica é o amor que Ele ensinou . A forma de amar com liberdade, responsabilidade, respeito, abnegação, misericórdia, generosidade e amor.
  A história de Jesus filho de Maria e José, é a história testemunho do atraso espiritual em que a maioria encontra-se.
 Ele incomodou os poderosos de sua época , da mesma forma que os seguidores e defensores da doutrina de Jesus  incomodam os poderosos de hoje. Não importa se na política, ou em qualquer outra situação de poder, onde haja possibilidade de manipular, usar e escravizar  alguém ou alguns grupos.
 A literatura de escravidão é vasta e tem edições  em cada época da história da humanidade.
 Prefiro olhar  Jesus  da mesma forma  do meu sonho de criança aos 8 anos , quando ele passou na porta de minha casa e disse: Venha .Estava rodeado de crianças e eu entrei na sala para pegar a minha sandália, na volta , ele não mais estava.Até hoje esta cena me marca.
 Prefiro olhar Jesus ,nas chagas dos meus irmãos injustiçados pela sistema,pela ignorância,pela falta de oportunidade, pela ausência de educação e de auto - estima.
 Ah! se eu pudesse , sair de casa em casa , nos bairros periféricos e conversar com as famílias , deixar a mensagem de amor de Jesus e poder ajudá-los a renovar as coragem e pescar seu próprio peixe.
 Jamais iria prometer mentiras ou dizer que eu posso oferecer-lhe o que precisam. Iria sim despertá-lo do sonho da ignorância e da visão obscura do quanto eles são importantes e de sua filiação ao Divino.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog