26 de junho de 2012

PARA VOCÊ REFLETIR



AS LIBERDADES  ESSENCIAIS
Agostinho  da Silva, escritor, em seu ensaios filosóficos aborda  a questão das liberdades essenciais  muito importantes para o momento político em que estamos vivendo.
De fato o povo, o eleitor, a massa de manobra precisa  conhecer e entender o valor das suas liberdades relacionadas à cultura,organização social, e liberdade econômica.
A partir desta compreensão, os maus gestores, os maus legisladores, os maus políticos  não, encontrarão  celeiros para dominarem e escravizarem o povo.
Vamos refletir sobre o pensamento de Agostinho da Silva.
 As liberdades essenciais são três: liberdade de cultura, liberdade de organização social, liberdade econômica. Pela liberdade de cultura, o homem poderá desenvolver ao máximo o seu espírito crítico e criador; ninguém lhe fechará nenhum domínio, ninguém impedirá que transmita aos outros aquilo  que tiver aprendido ou pensado. Pela liberdade de organização social, o homem intervém no arranjo da sua vida em sociedade, administrando e guiando, em sistemas cada vez mais perfeitos à medida que a sua cultura se for alargando; para o bom governante, cada cidadão não é uma cabeça de rebanho; é como que o aluno de uma escola de humanidade: tem de se educar para o melhor dos regimes, através dos regimes possíveis. Pela liberdade econômica, o homem assegura o necessário para que o seu espírito se liberte de preocupações materiais e possa dedicar-se ao que existe de mais belo e de mais amplo; nenhum homem deve ser explorado por outro homem; ninguém deve, pela posse dos meios de produção e de transporte, que permitem explorar, pôr em perigo a sua liberdade de Espírito ou a liberdade de Espírito dos outros. No Reino Divino, na organização humana mais perfeita, não haverá nenhuma restrição de cultura, nenhuma coação de governo, nenhuma propriedade. A tudo isto se poderá chegar gradualmente e pelo esforço fraterno de todos.  



Um comentário:

Elenir de Fatima Silva Zart disse...

Bom dia amigos de luz.....Não devemos deixar a abundância do ouro desvirtuar nossas qualidades, ou nossas tendências para o bem. Não devemos permitir que as posições de mando interrompam os nossos dons de servir. Não devemos aquiescer a que o conforto material nos impeça de trabalhar, sempre, na Caridade, pelos processos do Amor. Sabemos e confirmamos que a Esperança é força, sublimada em flor. Não obstante, ela tem que ser dignificada em Cristo para não esperdiçar as suas qualidades, seus valores materiais.Fatima Zart

Arquivo do blog